Brasil

Passaram-se trinta e cinco anos desde sua primeira edição para que seis brasileiros fizessem sua estreia na Copa Davis. O ano foi 1935, quando Inácio Nogueira, Roberto Whately, Humberto Costa, Nélson Cruz, Ivo Simons e Ricardo Pernambuco disputaram a Zona Americana do torneio, mas foram desclassificados pelos Estados Unidos.

Mas em 1966 o Brasil conseguiu reconhecimento internacional no torneio. Chegamos no final da disputa interzonal com José Édison Mandarino e Thomaz Koch, mas os indianos Jaidip Mukerjea e Ramanathan Krishnan levaram a melhor no jogo disputado em Calcutá. O desafio final ficou entre Índia e Austrália, e os australianos venceram em casa.

Vale lembrar que, além de ser o primeiro brasileiro a vencer um Grand Slam nas duplas mistas em Roland Garros, em 1975, Thomas Koch é o brasileiro 7º jogador em número de vitórias na Copa Davis. Além disso, Thomas e Edson Mandarino formaram a 3ª melhor dupla de toda história da Copa Davis até agora, somando 23 vitórias e apenas 9 derrotas.

Muitos anos se passaram, o formato da Davis mudou, e com a criação do grupo mundial em 81, O Brasil chegou nas semifinais em 1992 e 2000.

 

A era Guga / Meligeni

Foi em 2000 que o tênis brasileiro voltou a se destacar. Gustavo Kuerten, Fernando Meligeni, André Sá, Francisco Costa e Jaime Oncins fizeram uma das melhores campanhas do Brasil na Copa Davis. Durante a edição de 2000 da Copa Davis (no mesmo ano em que recebeu o troféu de campeão de Roland Garros), Guga conseguiu a vitória sobre equipes consagradas como França e Eslovênia. Nessa mesma campanha, Fernando Meligeni fez uma partida incrível contra o esloveno Karol Kucera, e foi sua vitória de 3 sets a 1 que classificou o Brasil para as semifinais.

 

Guga e Meligeni

 

Mesmo com a desclassificação na fase final em um duro jogo contra a Austrália, foi a equipe de 2000 que trouxe novamente a admiração do torcedor brasileiro e atraiu e inspirou muitos jovens talentos a colocarem a munhequeira e a testeira e empunharem a raquete, sinal do novo entusiasmo pelo esporte.

 

O tênis brasileiro hoje

Entre 12 e 14 de setembro deste ano, Bruno Soares e Marcelo Melo disputarão o Playoff do Grupo Mundial da Copa Davis contra Rafael Nadal e David Ferrer, da Espanha. Os brasileiros contarão com o apoio de aproximadamente dez mil torcedores que estarão acompanhando as partidas no Ginásio do Ibirapuera.

Atualmente, Bruno e Marcelo jogam e obtêm bons resultados no circuito mundial com seus companheiros de duplas de outras nacionalidades, mas esses dois mineiros são velhos conhecidos de infância e têm um entrosamento impressionante. No ano passado, eles conseguiram a vaga inédita para brasileiros na disputa de duplas no ATP World Finals, e foram os primeiros brasileiros a retornarem à competição desde Guga, em 2000.

Hoje, nossos tenistas juvenis estão treinando pesado e se aperfeiçoando para alcançar bons resultados, e podem ser promessas de vitória. Muitos deles são o reflexo da perseverança e da inspiração desses grandes atletas que tão bem representaram o tênis brasileiro na história da Copa Davis.

20/08/2014

O histórico do Brasil na Copa Davis

Passaram-se trinta e cinco anos desde sua primeira edição para que seis brasileiros fizessem sua estreia na Copa Davis. O ano foi 1935, quando Inácio Nogueira, Roberto Whately, Humberto Costa, Nélson Cruz, Ivo Simons e Ricardo Pernambuco disputaram a Zona Americana do torneio, mas foram desclassificados pelos Estados Unidos. Mas em 1966 o Brasil conseguiu reconhecimento internacional no torneio. Chegamos […]
12/08/2014

Copa Davis 2014: Brasil x Espanha

A competição por equipes mais importante do tênis mundial terá uma de suas etapas realizada na cidade de São Paulo. Entre os dias 12 e 14 de setembro, o Ginásio do Ibirapuera vai sediar a disputa entre Brasil e Espanha pela repescagem para o Grupo Mundial da Copa Davis de 2015. O campeonato nasceu em 1900 a partir de uma […]