Jogadores

Rafael Nadal é definitivamente o nome a ser batido no saibro em 2017. Depois de vencer dois torneios com chaves um pouco menos exigentes e com condições excelentes para o seu jogo, Nadal finalmente teve seu teste de fogo: a Caja Mágica, no Masters 1000 de Madri. Com a altitude da cidade, a bola costuma rápido nesse torneio, mais rápido até que em algumas quadras sintéticas.

Para vencer o Masters 1000 de Madri pela quinta vez, Rafael Nadal teria que passar por Fognini, Kyrgios, Goffin, Djokovic e Thiem, uma chave duríssima. Logo em sua primeira partida, o espanhol teve dificuldades, cedeu um set, mas se garantiu na terceira parcial. Aquele seria seu único set perdido na competição. A partir daí, Nadal foi dominante e sequer flertou com o perigo para garantir seu segundo Masters 1000 do ano.

Até aqui, são 15 jogos e 15 vitórias no saibro. Se confirmar o favoritismo e conquistar Roma e Paris, Rafa pode fazer a melhor temporada de saibro da carreira prestes a completar 31 anos de idade.

A redenção contra Djokovic e a grande final

Nas últimas 7 partidas entre as duas lendas, Nadal saiu derrotado por Djokovic, sempre em sets diretos. Porém, o momento vivido por ambos na temporada dava o favoritismo para o espanhol, ainda mais depois de Nole ter demitido toda sua equipe técnica.

O jogo válido pela semifinal ficou aquém do esperado. Nadal foi amplamente superior em toda a partida e poucas chances ofereceu a Novak. A emoção ficou apenas para o final, quando Rafa sacava para o jogo e Djokovic insistia em permanecer vivo. Não deu. No final, o 6/2 e 6/4 refletiu bem o que foi a partida.

Na grande final, Thiem vendeu caro cada ponto, teve set points no primeiro set e jogou muito bem no último game do jogo. Nadal, no entanto, foi mais preciso nos pontos mais importantes e levou por 7/6 e 6/4. Agora, Rafa é o número 4 do mundo e o melhor tenista da temporada até aqui. Esse é o segundo melhor início de temporada de Nadal em toda sua carreira, atrás apenas de 2009, quando venceu o Australian Open pela única vez até o momento.

Boa semana para o Brasil

Marcelo Melo definitivamente encontrou o entrosamento com o polonês Kubot. A dupla levou o Masters 1000 de Madri e se tornou a melhor parceria do ano até o momento. O resultado também colocou o brasileiro na terceira posição do ranking geral.

Bia Haddad também fez bonito e conquistou o ITF US$ 100 mil de Cagnes-Sul, na França, e chegou ao top 100 pela primeira vez na carreira. A paulista é a oitava mulher brasileira a conquistar esse feito e se junta ao seleto grupo composto por Maria Esther Bueno, Niege Dias, Claudia Monteiro, Patricia Medrado, Gisele Miró, Andrea Vieira e Teliana Pereira.

16/05/2017
Nadal

Mais dominante que nunca

Rafael Nadal é definitivamente o nome a ser batido no saibro em 2017. Depois de vencer dois torneios com chaves um pouco menos exigentes e com condições excelentes para o seu jogo, Nadal finalmente teve seu teste de fogo: a Caja Mágica, no Masters 1000 de Madri. Com a altitude da cidade, a bola costuma rápido nesse torneio, mais rápido […]
02/05/2017
Nadal

Uma década de domínio

Para mostrar que o decacampeonato em Monte Carlo não foi um acaso, Rafael Nadal também completou uma década de domínio no ATP 500 de Barcelona. No clube onde praticamente cresceu e tem a quadra principal com seu nome, Nadal foi praticamente impecável em toda sua campanha, culminando com a vitória sobre o Thiem na grande final por 6/4 e 6/1. […]
24/04/2017
Rafael Nadal

10 vezes Rafael Nadal

Rafael Nadal fez história mais uma vez. Depois de três vices na temporada, Nadal finalmente ergueu seu primeiro caneco em 2017. E não foi um título qualquer. Ao se consagrar campeão do Masters 1000 de Monte Carlo pela décima (!!!) vez, o espanhol se tornou o tenista mais vencedor da história do saibro com 50 títulos, um a mais que […]
04/04/2017
Roger Federer

Uma pausa no conto de fadas suíço

Roger Federer é definitivamente o protagonista do primeiro quarto de 2017. Ao conquistar mais uma vez o sunshine double (vencer seguidamente os Masters 1000 de Indian Wells e Miami), o suíço ampliou sua vantagem na corrida para Londres e se tornou um real candidato a terminar o ano na primeira colocação do ranking. O topo do ranking, entretanto, definitivamente não […]
20/03/2017
Federer

O melhor tênis do ano

Federer leva dois dos mais importantes torneios do ano. Nem o mais otimista dos fãs poderia prever que estariam na bagagem dele. O suíço voltou após mais de 6 meses longe das quadras sob muitos olhares de desconfiança a respeito de seu jogo e de sua capacidade física. Começando na 17ª colocação do ranking, suas chaves seriam mais difíceis que […]